Movimento Bengala Verde

MOVA-SE PELA ESPERANÇA!

Pensada em 1996, pela professora argentina, Perla Mayo, a Bengala Verde nasceu com o objetivo de identificar as pessoas com Baixa Visão, estando já implantada no Brasil e em quase toda a América Latina.

Falamos de pessoas não cegas, cuja Acuidade Visual, com melhor correção ótica, é menor ou igual a três décimos e o Campo Visual inferior a 20 graus.

São várias as causas que levam à Baixa Visão, desde acidentes a diversas doenças, incluindo as Doenças Degenerativas da Retina, não podendo os problemas decorrentes daquele contexto ser solucionados com o uso de óculos, ou cirurgias.

Uma pessoa com Baixa Visão tem dificuldade em reconhecer rostos, ler placas de sinalização, letreiros de autocarros, atravessar ruas, caminhar sozinho, entre outras. Em alguns casos, a claridade, ou a falta dela, afetam a visão.

Apesar da necessidade da bengala, as pessoas com Baixa Visão apresentam resistência ao uso desta, pois, por ser branca, acabam por ser identificadas como pessoas cegas, o que muitas vezes leva a situações constrangedoras.

Este é o duro dia-a-dia de cerca de trezentos mil portugueses com Baixa Visão, uma realidade que, infelizmente, ainda é praticamente desconhecida da nossa sociedade.
Foi exatamente para retirar o peso psicológico do significado da Bengala Branca, para quem ainda consegue ver, que a ARP – Retina Portugal trouxe o Movimento Bengala Verde para Portugal, sendo o primeiro país da Europa a fazê-lo. A cor verde foi escolhida como verde de esperança, “de ver-de-novo”, “ver-de-outra-forma”.

Para além da Bengala ser um instrumento de suma importância para a orientação e mobilidade, determinante na autonomia dos que têm visão reduzida (ou ausência dela), a Bengala Verde é facilitadora da identificação e mesmo da inclusão social das pessoas com Baixa Visão, bem como da consciencialização da sociedade para esta problemática.
Iniciaremos, a partir de agora, uma longa e imparável caminhada, rumo à promoção do uso da Bengala Verde, no nosso país.

Venha você também fazer parte do Movimento Bengala Verde! Mova-se pela esperança!